.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. ALei dos sentidos

. Artes do Futuro

. Desconfiguração

. Tens os Olhos de Deus

. Agora Nunca é Tarde

. Os dois pretitos da minha...

. Ultimatum

. A noite Alastra

. Naufrágio do navio-motor ...

. Terra, Vida, Saber, Ser.

. Negrume de fogo

. Aventais Bordados

. Mulheres do mar.

. Quem és tu?

. República

. Dia mundial do sorriso

. População em sobressalto

. Panama Papers

. Mãe

. O vento sopra do Sul

. Retimbrar Voa Pé (cá fora...

. Jealous whores

. Acorda, Humanidade!

. Crise, qual crise?

. Aluguei o sótão a um inqu...

. High Hopes

. Vermelho Erectus ...

. Jesus Christ Superstar - ...

. Sem à dita de Aquiles ter...

. Ser ou não ser

. Novo endereço

. Led Zeppelin

. Poesia de Eunice Pimentel

. E o jornalismo de investi...

. Mondego

. Homens à Beira-Mar

. Ser decente

. Balada astral

. Dez réis de esperança

. Morreu Nelson Mandela

. O Associativismo

. Walk on the Wild Side (in...

. AbraMia

. Sua solidão nos fosse can...

. Isto é sempre o mesmo ......

. O ser emocional ...

. Hilotas e periecos

. Criança balança na pança ...

. The Loner

. Fado Loucura

.arquivos


.Pescadores, Cédulas marítimas

.tags

. todas as tags

painel06
... algures na costa portuguesa mesmo a sul da foz do rio Mondego. Era, como se dizia então, um bom pesqueiro. Havia fartura de pescado e as artes, ainda novas e de não fácil manuseio, vinham carregadas até á vergueira de espécies saltitantes e ...
corda01
Quinta-feira, 2 de Agosto de 2012

Convém não esquecer

 

Nos tempos que correm, nestes tempos de mudança e de crise de tudo o que se prende à memória e, também, à ética é normal o aproveitamento oportuno das ocasiões.
 
Vem isto a propósito da reforma administrativa levada a cabo pelo ministro Relvas, personificada pela lei 22/2012 e que pode, repito, pode levar à extinção, enquanto tal, da Freguesia de S. Pedro do Concelho da Figueira da Foz.
 
Esta re-postagem, “ Deste povo, este mar”, (X)  tem a simples, mas importante intenção de lembrar que, para além dos critérios de censos populacionais e geográficos, este povo da Cova e da Gala tem uma identidade que lhe advém da gênese e que está para além da Figueira da Foz.
 
Quero com isto dizer que, sendo figueirenses, os covagalenses não são só figueirenses, são mais do que isso.
 
Carregam na sua identidade o legado das gentes de Ílhavo que no século XVII aqui, à Cova d’oiro, (Cova’doiro é um conceito, uma realidade ou um sonho?)  chegaram, se instalaram, se desenvolveram e disseminaram  Cova-Gala, um povoado e um só povo... uma vila!.
 
A Freguesia de S. Pedro faz parte desse trajeto, desse património.
 
Convém não o esquecer!
 
publicado por João Pita às 22:39
link do post | comentar | favorito
Caravela Sagres St MManuela e Creoula

.João Pita

gazelap-01