.pesquisar

 

.arquivos

.posts recentes

. ALei dos sentidos

. Artes do Futuro

. Tens os Olhos de Deus

. Agora Nunca é Tarde

. Os dois pretitos da minha...

. Ultimatum

. A noite Alastra

. Naufrágio do navio-motor ...

. Terra, Vida, Saber, Ser.

. Negrume de fogo

. Aventais Bordados

. Mulheres do mar.

. Quem és tu?

. República

. Dia mundial do sorriso

. População em sobressalto

. Panama Papers

. Mãe

. O vento sopra do Sul

. Retimbrar Voa Pé (cá fora...

. Jealous whores

. Acorda, Humanidade!

. Crise, qual crise?

. Aluguei o sótão a um inqu...

. High Hopes

. Vermelho Erectus ...

. Jesus Christ Superstar - ...

. Sem à dita de Aquiles ter...

. Ser ou não ser

. Novo endereço

. Led Zeppelin

. Poesia de Eunice Pimentel

. E o jornalismo de investi...

. Mondego

. Homens à Beira-Mar

. Ser decente

. Balada astral

. Dez réis de esperança

. Morreu Nelson Mandela

. O Associativismo

. Walk on the Wild Side (in...

. AbraMia

. Sua solidão nos fosse can...

. Isto é sempre o mesmo ......

. O ser emocional ...

. Hilotas e periecos

. Criança balança na pança ...

. The Loner

. Fado Loucura

. A melodia dos Deuses

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.Pescadores, Cédulas marítimas

.tags

. todas as tags

painel06
... algures na costa portuguesa mesmo a sul da foz do rio Mondego. Era, como se dizia então, um bom pesqueiro. Havia fartura de pescado e as artes, ainda novas e de não fácil manuseio, vinham carregadas até á vergueira de espécies saltitantes e ...
corda01
Quinta-feira, 2 de Julho de 2015

Aluguei o sótão a um inquilino.

Sim!

Sem saber, quase sem sentir ou sequer pressentir, aluguei o sótão a um inquilino.

De repente e por acaso, puro acaso de uma dessas curvas da vida que nos marcam a existência, dei comigo a constatar a existência plena e ribombante de um inquilino a quem tinha alugado o sótão.

- Como?

- Sei lá como!  Nem sequer tinha noção que tinha sótão quanto mais inquilino!

Quer dizer, esta de dizer; nem sequer tinha noção que tinha sótão é relativo exagero.

Claro que toda a gente tem sótão e eu também.

É no sótão que vamos guardando ao longo da vida as coisas a que damos importância, coisas importantes num determinado momento, noutro nem tanto, mas importantes afinal.

Passamos largos períodos da vida amealhando e arrecadando no sótão.

Por vezes, damos connosco no sótão a vasculhar as coisas arrecadadas, relembrando, recordando, qual filme, todo o percurso que fomos palmilhando, umas vezes sós, outras acompanhados pelos que amamos.

 

E sorrimos, claro que sorrimos no vislumbre colorido de vidas já vividas.

Normalmente o sótão está tão ocupado que já não cabe lá mais ninguém.

 

Ora, aqui é que está o gato!

O enigma!

Era suposto não existir inquilino. Pois é, mas o inquilino existe e está lá.

- E quem é este inqulino, tem nome?

- Sei lá eu, acho que sim, tem um nome estranho que termina em oma, sei lá.

- Vive só?

- É pacato e discreto, ou é um desses que leva a vida numa roda viva de convivas, festas e festanças sem se preocupar com os outros?

- Tem família?

- Família estável ou das que se vão multiplicando e desmultiplicando contínua e descontroladamente absorvendo e anulando todos os outros?

Pelo que me dizem, amigos que já o conhecem de outras andanças, outras festas e festanças, este inquilino gosta de viver só.

É sereno, pacato e vive fechado em si mesmo sem dar cavaco a ninguém ao seu redor.

 

Ah, malandro!

Não deixas de ser um penetra, penetra despropositado, deslocado e inconveniente.

 

Do mal o menos.

Inquilino por inquilino que sejas assim, discreto e amorfo.

 

Que para viver estou cá eu, estamos cá nós!

Com inquilino ou sem inquilino!

 

 

 

publicado por João Pita às 20:41
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De José Vidal a 3 de Julho de 2015 às 23:36
Muito bem elaborado. Gostei do enigma. Abraço.

Comentar post

Caravela Sagres St MManuela e Creoula

.João Pita