Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cova d'oiro

... algures na costa portuguesa mesmo a sul da foz do rio Mondego. Era, como se dizia então, um bom pesqueiro. Havia fartura de pescado e as artes, ainda novas e de não fácil manuseio, vinham carregadas até á vergueira

Cova d'oiro

... algures na costa portuguesa mesmo a sul da foz do rio Mondego. Era, como se dizia então, um bom pesqueiro. Havia fartura de pescado e as artes, ainda novas e de não fácil manuseio, vinham carregadas até á vergueira

corda01

Mulheres do mar.

 

Carregue no PLAY para ouvir a Ana Margarida.

 

 

Sou a Ana Margarida, neta de pescadores, menina mulher da Cova-Gala onde nasci, vivo e trabalho.Sem Título-22 cópia.jpg

Ainda não me conhecem, mas prometo tudo fazer para, de aqui a uns tempos e com o correr das crónicas, nos conhecermos melhor.

Quando me propuseram este desafio logo me inundou o pensamento falar das mulheres do mar.

As mulheres, sempre presentes na vida dos homens do mar.

Iremos falar deste tema, recuando no tempo e descrevendo aspetos históricos da vivência de então.

Também falaremos das questões da atualidade e modernidade que, por ironia do destino, nalguns aspetos, de modernidade não tem nada, antes se assemelhando ao cinzentismo de outros tempos.

O sal que me corre nas veias deu-me o mar quando nasci.

Esse mesmo mar que tem alimentado gerações e gerações de Covagalenses, ao longo dos tempos, no seu infindável labutar.

Aliás, é esse mar que nos dá identidade enquanto povo.

Por ele e através dele cruzámos oceanos, pescámos nos mares da Terra Nova, da Gronelândia, de África, das Américas e da Ásia.

O que seria, como seria a vida dos pescadores sem a presença, “omnipresença”, das suas mulheres?

É comummente aceite que a vida do mar é para homens. O mundo do mar sempre foi considerado social e profissionalmente como masculino, de homens e só para homens.

Mas, será que é assim?

Será que, se repararmos bem nos comportamentos das comunidades piscatórias, não iremos encontrar muitos exemplos em que essa verdade é, foi, colocada em causa?

Será que não assistiremos a trocas de papeis e de tarefas profissionais com a mulher a ocupar papel de relevo?

Sim! Iremos, claro que iremos!

E mais, as mulheres do mar, sempre tiveram a cargo, sempre a seu cargo, a casa, a educação dos filhos, o amanhar da terras nos quintais, a gestão dos dinheiros, da míngua como se dizia então …

Enquanto os homens labutavam durante seis meses por ano, na pesca do bacalhau, nos mares do Atlântico norte, eram elas, as mulheres, que guardavam a retaguarda, sustinham o asseio, o sustento da casa e dos filhos.painel06

E ainda tinham tempo para carrear torrão nas marinhas de sal…

Trabalhar nas secas do bacalhau …

Descarregar e carregar barcos…

Puxar as redes das artes na praia …

Vender o pescado nas praias ...

Vender e apregoar o peixe pelas aldeias e cidades circundantes, calcorreando caminhos, cabeços e valados de canastra à cabeça …

Quase sempre sorrindo...

Sim, quase sempre sorrindo porque, apesar de tudo, ainda tinham tempo para folguear, cantar e bailar …

Por tudo isto me sinto tão menina mulher deste povo.

 

Caravela Sagres St MManuela e Creoula

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Pescadores, Cédulas marítimas

painel06

Links

Identidade

Pescadores da Cova-Gala, *****Cédulas marítimas *. Videos

Videos

Músicas roladas n'areia

Viagens passadas

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.